Malalai Joya tem lutado por todas elas. Ela não tem medo. Você olha em seus olhos, e o medo se derrete

Ed Felien, The Rag Blog, 12.4.2011
tradução de Edu Montesanti

Malalai Joya in a protest in Los Angeles

MINEÁPOLIS - Eu conheci a pessoa mais corajosa do mundo na noite de sexta, 1º de abril, na Igreja Santa Joana d'Arc, sul de Mineápolis, quando ouvi Malalai Joya falando.

Ela tem cerca de 1,50 de altura, uma voz suave e espinha dorsal forte como aço. Foi expulsa do Parlamento afegão (depois de ter sido, aos 26, a pessoa mais jovem eleita), porque ela "insultou" os senhores da guerra e do ópio afegão, e o governo dos EUA por apoiar a liderança corrupta de Hamid Karzai.

Foram quatro tentativas de assassinato em sua vida [cinco, grifo deste Blog]. O Taliban a odeia porque organiza grupos de mulheres e escolas para meninas.

Malalai Joya tem resistido a todos eles. Ela não tem medo. Você olha em seus olhos e o medo se derrete. Você acaba curtindo o fato de que todas as suas lutas são mera brincadeira de criança dentro de uma caixa segura, em relação à sua luta para melhorar a vida de jovens mulheres no Afeganistão.

Ela acredita apaixonadamente que as mulheres no Afeganistão estariam melhor se os EUA deixassem imediatamente o país. Ela considera as atitudes em relação às mulheres do Taliban muito menos perigosas à sua saúde, que os ataques aéreos.

Ela falou brevemente sobre como a CIA se beneficia com o tráfico de ópio em seu país. Embora não seja amiga dos talibans, ela reconhece que, durante seu governo, a produção de ópio no Afeganistão foi quase 0% da oferta mundial e, uma vez que a CIA, com a ajuda dos senhores da guerra do ópio, assumiu o governo, a produção é de mais de 93% da oferta mundial.

A séria questão para o povo norteamericano é: quem se beneficia deste comércio de ópio? Até onde vai a cadeia de lucros? Se a CIA lucra, isso significa que Leon Panetta lucra? Isso significa que Obama lucra? E de que maneira isso é do nosso interesse nacional?

Apoio ao trabalho de Malalaï Joya pode ser direcionado à Afghan Women's Mission, em www.afghanwomensmission.org.

[Ed Felien é articulista e editor de Southside Pride, veículo mensal de Mineápolis do Sul]